Adventistas na China com medo de ir a Igreja

ADVENTISTAS NA CHINA COM MEDO DE FREQUENTAR A IGREJA
O sábado nesses últimos tempos, já não tem sido mais tão deleitoso para os adventistas residentes nas zonas de alerta ⚠ na China. Tudo por conta do vírus que se propaga velozmente naquele país, recebi uma mensagens de amigos adventistas residentes lá, e vou transcrever para vocês:
"Isso é realmente sério. As pessoas estão com medo. Cerca de 11 milhões de pessoas estão em quarentena. Muitos vídeos estão circulando na internet, mostrando pessoas caindo nas ruas, balcões de lojas vazias, hospitais lotados com pessoas desesperadas gritando, cadáveres cobertos nos corredores dos hospitais...”, relatou.
Segundo informa a carta, os médicos choram e dizem que há muito mais pessoas infectadas e moribundas do que o que está sendo noticiado.
“Há também informações de que há falta de pessoal médico e medicamentos”, diz a carta.
Eles contam que as pessoas têm medo de sair e seguem a recomendação de ficar em casa. “Na rua, ande apenas com máscaras. Máscaras descartáveis ​​e máscaras de filtro tornaram-se valiosas como ouro; outras máscaras são simplesmente inúteis”, conta ele, dizendo que as máscaras que funcionam para ajudar a conter o espalhamento do vírus estão difíceis de serem encontradas.
“Enquanto escrevia esta carta, recebi uma mensagem da polícia de que agora alguns tipos de transporte não estão mais em nossa cidade. E se alguém se sentir mal ou quiser sair da cidade, é necessário entrar em contato com um número especial”.
“O vírus está cada vez mais próximo de nós. Sinto medo pela minha família, mas confiamos em Deus. Infelizmente, a cidade de Wuhan não fica longe de nós, ela está a cerca de 600 km. Não há nada que possamos fazer sobre isso, só podemos orar, fortalecer a imunidade e manter a higiene”, escreveu.
Ainda “decidimos, neste momento, cancelar reuniões e não receber convidados”, para não correrem riscos de transmissão ou contágio.
“Crentes de toda a China estão unidos em oração e também convidam nós  a orar por eles”.
Comentários
0 Comentários