Prefeitura de Itapetinga realiza coletiva de imprensa sobre o combate ao Coronavírus

A prefeitura de Itapetinga promoveu, na tarde desta quarta-feira, 01, uma coletiva de imprensa. Com o objetivo de oferecer ainda mais transparência sobre a situação do município na luta contra o coronavírus, o poder público reuniu representantes de sites, blogs e programas de rádio para ouvir o pronunciamento do secretário de saúde Hugo Sousa e sua equipe. O grupo ainda respondeu aos questionamentos feitos pelos presentes.


Sobre o resultado dos exames:

A população está apreensiva sobre o tema e buscando respostas da razão para a demora da divulgação dos resultados. O secretário explicou que dois fatores causam o atraso. Primeiro a falta de kits testes. Sem o material necessário para a coleta da amostra da mucosa nasal e da saliva, alguns pacientes ainda sequer tiveram seus testes enviados para o Lacen – Laboratório Central de Saúde Pública. Até a última sexta-feira, apenas seis exames tinham sido coletados. O primeiro há mais de 10 dias, ainda está em análise. Além disso, o Lacen afirma estar congestionado, sem conseguir dar respostas em tempo hábil para os municípios. O secretário disse que chegou a questionar o porquê de alguns municípios receberem os resultados com menos tempo que Itapetinga, mas não obteve resposta.

Sobre plano de ação:

Segundo Hugo, a secretaria vem se preparando desde as primeiras medidas anunciadas pelo Governo do Estado. No dia 17, sem nenhum caso suspeito, Itapetinga emitiu decreto com medidas de segurança como suspensão de aulas, cancelamento de concessão de férias para os servidores da saúde e regulamentação de cuidados básicos. Desde então, vem aperfeiçoando sua atuação na fiscalização do funcionamento de empresas, no controle e monitoramento de pacientes e, agora, já traça plano para preparar um hospital que recepcionará pacientes suspeitos ou confirmados de Covid.

Qual a estratégia para o Hospital Cristo Redentor?

A secretaria vem buscando, há cerca de uma semana, alternativas para expandir a capacidade de atendimento, levando casos mais amenos para lugares alternativos e deixando o Hospital Cristo Redentor para casos mais graves. Um dos lugares estudados é o Hospital Raimundo Perazzo.

Bandeira do Colônia:

A equipe de saúde esteve, na manhã de quarta, no distrito de Bandeira do Colônia, conversou com as técnicas responsáveis por ações de combate ao corona e organizou rondas para orientar os donos de estabelecimentos comerciais a respeitarem o decreto municipal mantendo o isolamento.

Campanha de vacinação:

A campanha de vacinação contra a gripe, iniciada no dia 23, passou por problemas na sua execução. Segundo Vitor Gama, a secretaria segue o protocolo ministerial e depende do envio das vacinas pelo Governo Federal e posterior repasse do Governo da Bahia que têm encaminhado os imunobiológicos em pequenos lotes com cerca de 1000 vacinas cada. Por isso, algumas estratégias planejadas pelo município não puderam ser cumpridas. O secretário informou que o público alvo da primeira etapa de Itapetinga soma 20.000 pessoas. Apenas 5000 vacinas foram recebidas.

Sobre caso positivo em Itororó:
Segundo o coordenador de vigilância epidemiológica, Vitor Gama, a secretaria de saúde de Itororó emitiu documento afirmando que, o período de notificação dos primeiros sintomas do paciente indica que ele não estaria contaminado durante o evento que participou em Itapetinga. Vitor afirma que, neste caso, a prefeitura de Itororó torna-se responsável por esses dados.

Sobre falecimento de paciente na UPA:

Nesta tarde, uma paciente que estava internada na Unidade de Pronto Atendimento por apresentar dificuldade respiratória precisou ser entubada e posta em um ventilador mecânico. Com o agravamento do quadro, a equipe tentou regulação para enviá-la a Vitória da Conquista, mas ela não resistiu e veio a óbito. A paciente tinha sido submetida a uma cirurgia cesariana há sete dias. Segundo o coordenador da UPA, Marcone Vieira, a insuficiência pode ter sido causada por uma embolia, por seu histórico de bronquite asmática ou por uma série de outros motivos. Mas, por segurança, antes mesmo da paciente falecer, foi coletado material para análise da Covid-19 e enviada para o Lacen.

Comentários
0 Comentários