A 2ª parcela do auxílio de R$ 600 foi cancelada? Saiba como resolver o problema

Muitas pessoas relataram que tiveram a segunda parcela do auxílio emergencial cancelado, mesmo após receber os R$ 600 da primeira etapa do programa do Governo Federal. Entenda o que pode ser feito para atualizar o cadastro.

Conforme os usuários, os cadastros foram aprovados inicialmente e chegaram a receberam a primeira parcela. Nos aplicativos da Caixa Econômica Federal, Caixa Tem e Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência), os dados ainda constam como regulares. Porém, o valor virtual não havia sido creditado. Ao ligarem no telefone de atendimento 111 são informados que não atendem aos critérios.

A assessoria de comunicação da Caixa informou que os beneficiários devem verificar a situação pelo aplicativo ou meio que pediu a primeira solicitação do auxílio, além de ficar atento ao calendário para depósitos ou saques. Um dos disgnósticos pode ser a versão do aplicativo, a orientação é atualizar o app e analisar o cadastro. Sobre ter o auxílio negado, o banco explicou que a concessão e análise do benefício é da Dataprev e do Ministério da Cidadania. O papel da Caixa se restringe apenas para fornecer o valor aos aprovados.

Por vez, a Dataprev divulgou uma nota dizendo que atua como parceria tecnológica do Ministério da Cidadania para reconhecer o direito do cidadão ao benefício com base nos critérios estabelecidos pela Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020. “São realizados o processamento e cruzamento de informações dos cidadãos conforme as regras definidas pelo órgão gestor do auxílio emergencial. Os dados utilizados são os constantes nas bases oficiais do governo federal”.

Já o Ministério da Cidadania orienta que o usuário que teve o auxílio bloqueado, entre novamente nos aplicativos do banco e contestar a informação.
Como faço para contestar?

Se a primeira resposta que o aplicativo informar for “dados inconclusivos”, a Caixa permite uma nova solicitação. Se o caso for “beneficiário não aprovado”, o usuário poderá contestar a análise ou correção dos dados pedindo uma nova solicitação.

O usuário pode entra no site da Caixa (clique aqui), selecionar a opção “acompanhe sua solicitação”; informar os números do CPF; marcar a opção “não sou um robô” e em seguida “continuar”. Após esse processo, será enviado um código por SMS no celular cadastrado. Em seguida irá aparecer a mensagem “auxílio emergencial não aprovado” com o motivo da reprovação.

Logo após essa etapa, o site disponibiliza links para realizar uma nova análise. No segundo, o cidadão deve “Contestar essa informação”, caso julgue que informou os dados corretamente, mas não concorda com o motivo da não aprovação.

O Ministério Federal também disponibilizou outros sites para consultar a situação e o regulamento dos cadastros. Pelo Dataprev, clicando aqui, e pelo Ministério da Cidadania, clique aqui.
Comentários
0 Comentários