Mùsica cristã é só pra dentro do templo ou para toda a vida e suas múltiplas nuances?


Tem gente que pensa que a música cristã limita-se à música litúrgica, destinando-se exclusivamente para dentro da igreja, momentos verticais de adoração, reflexão e oração. Mas não é assim! Essa é apenas uma das várias vertentes da música cristã.
O povo de Israel tinha músicas específicas para o templo. Mas tinha muitas outras para o dia a dia, para as diversas atividades da vida, desde cânticos românticos, de guerra, de viagens, folclóricas, ou música pra dançar enquanto faziam suco de uva com os pés.
Mesmo neste último exemplo, a chamada dança da vindima, se mencionava Deus como doador da chuva, frutos, colheita e a vida!

TUDO envolve Deus ! Precisa haver música cristã para cada momento.

Muita gente se choca com a música X ou Y, porque justamente imagina aquela música sendo tocada na igreja. MAS O CASO É QUE ELA NÃO FOI FEITA PARA  TOCAR NA IGREJA.
Se chocariam com a alegria de uma festa judaica. Também se chocariam com o cântico de Cantares 1;2 "beija-me com os beijos da tua boca, porque melhor é o teu amor do que o vinho". Essa é uma música religiosa. Mas não para dentro da igreja. Mas igualmente cumpre um propósito santo.

Muitos tentam dizer que o CÂNTICO DOS CÂNTICOS (ou Cantares) na verdade se refere a Deus o seu povo, e não sobre o amor entre um homem e uma mulher, justamente porque não veem a santidade e a religião em todos os aspectos da vida, incluindo o amor e sexo.
"Como que pode umas músicas dessas dentro da Biblia?", perguntam.
É justamente essa dicotomia grega tão presente na cabeça de muitos cristãos "corpo X espírito","secular X espiritual", que faz muitos verem o sexo como sendo sujo (dentro do casamento mesmo), que é trazida para o âmbito da música: qualquer movimento corporal é errado, palmas são coisa do mundo, até mesmo a expressão que extravasa alegria no rosto dizem que é exagerada demais. OPA, ISSO NÃO. Preferem a visão de espiritualidade que aprenderam: etéreo, não-humana, sem emoção, enfadonha e beirando a trsiteza.

Não tem problema se você só gosta de música calma e reflexiva. Há uma variedade de músicas e estilos para cada perfil e cultura. O problema é você dizer que só aquele estilo é o certo e todos os outros são do demônio!
Tem gente que se sente tocado com um sermão mais teórico, talvez lido. Outro se sente tocado com uma mensagem mais enérgica e apelativa. Ambos podem ser bíblicos, mas a linguagem muda. E música é linguagem. Não importa é o idioma que se está falando, o que importa é o conteúdo e a adequação da linguagem para o respectivo público e momento.

Tem gente tão preocupada na música perfeita para adorar a Deus, que esquece que Deus também inspira músicas pra gente mesmo - músicas no nosso sotaque e que vão falar particulamente com a gente como nenhuma outra.

Deus na sua sabedoria não permitiu que permanecessem as melodias originais dos salmos, porque muitos diriam que este seria o único estilo de música aceitável a Deus e ignorariam as mudanças esilísticas de cada geração. Talvez um pouco como os que defendem as músicas do hinário como as únicas aceitáveis a Deus.

Isso é limitar o dom do Espírito na diversas gerações e culturas, é negar um Deus que fala com sotaques diferentes, que tenta se fazer entender, que tem um jeito tão peculiar de falar com cada um. Não padronize quem é Deus baseado nos seus gostos pessoais. Se não gosta de estilo X ou do trabalho do cantor Y, simplismente não ouça. Pode ter certeza que alguém vai ser alcançado com aquela música. Os músicos não estão brincando.

Vejo ódio no coração de muitos que se dizem reformadores, que dizem saber como é a música do céu e quais são as preferências de Deus. Fazem alarde nas redes sociais e têm prazer em fomentar comentários intolerantes, cheios de raiva e agressividade. Se essa é a igreja reformada e santa que eles querem, eu não quero participar.

E quando você achar que aquele cantor está errado, e pode está (porque são todos humanos), ore, interceda por ele e por seu ministério. Você não exporia assim os pastores que caem em pecados públicos, levantando debates sobre eles nas redes. Não exponha também os ministros da música, que dão seu tempo e talento pra alcançar corações para o seu Reino. E mais, não seja uma pedra de tropeço para aqueles que não são da fé e começam a ver todas essas discussões públicas.

Que Deus levante mais compositores para embalarem nossa vida, quer seja na igreja ou fazendo faxina, dirigindo ou na academia, música pra namorar ou cantar pra alguém que ainda não O conhece... E em todos esses momentos, com canções tão diversas, estaremos O adorando todo tempo.

Daniel Ludtke/ via instagram

Contradiçôes com os ensinos de Ellen G. White

O que não é música? Quais as duas características do bom cântico?

“Pensam alguns que, quanto mais alto cantarem, tanto mais música fazem; barulho, porém, não é música. O bom canto é como a melodia dos pássaros – dominado e melodioso.” ( EV., pág. 510)

Que tipo de cânticos os anjos unem-se a nós em cantar?

“Eles (os anjos – pois esta nota é continuação da anterior)se deleitam em ouvir os simples cantos de louvor entoados em tom natural. Os cânticos em que cada palavra é pronunciada claramente, em tom harmonioso, eis os que eles se unem a nós em cantar. Eles tomam o estribilho entoado de coração com o Espírito e o entendimento.” (EV., págs. 510 e 511)

Do que Deus não se agrada (em termos de música)?

“Vi que todos devem cantar com o espírito e com o entendimento também. Deus não se agrada de algaravia e desarmonia (dissonância). O correto é sempre mais grato que o errado.” (Testimonies, Vol. 1, pág. 146 TS. Vol. 1, pág. 45)

Como seriam as músicas imediatamente antes da terminação da Graça? Por que seria assim?

Com gritos, tambores e dança. Porque os sentidos dos seres racionais ficarão confundidos.


“As coisas que descrevestes como tendo lugar em Indiana o Senhor revelou-me que haviam de ter lugar imediatamente antes da terminação da graça. Demosntrar-se-á tudo quanto é estranho. Haverá gritos com tambores, música e dança. Os sentidos dos seres racionais ficarão tão confundidos que não se pode confiar neles quanto a decisões retas.” (ME. Vol. 2, pág. 36)

A quem haveriam de atribuir o tipo de música que ocorria antes da terminação da Graça?

“E isto será chamado operação do Espírito Santo (Ibid.)

26. Por que métodos o Espírito Santo nunca Se revela?


“O Espírito Santo nunca se revela por tais métodos, em tal balbúrdia de ruído.” (Ibid.)

Com que intenção Satanás criaria tal tipo de música?

“Isto é uma invenção de Satanás para encobrir seus engenhosos métodos para anular o efeito da pura, sincera, elevadora, enobrecedora e santificante verdade para este tempo.”(Ibid.)