Ben Carson: conheça a história de um dos Adventistas mais influentes do mundo


Dr Benjamin Carson, um dos mais respeitados neurocirurgiões do mundo. Cresceu em um lar desfeito e em meio à pobreza e ao preconceito, suas notas eram baixas e seu temperamento inflamado. Sua trajetória descreve o papel vital que sua mãe, uma senhora analfabeta, mas muito inteligente que insistiu para que ele seguisse as oportunidades que ela nunca teve, ajudou-o a expandir sua imaginação, sua inteligência e sua crença em si mesmo. Em 1987, o Dr. Carson alcançou renome mundial por seu desempenho na bem-sucedida separação de dois gêmeos siameses, unidos pela parte posterior da cabeça - uma operação complexa e delicada que exigiu cinco meses de preparativos e vinte e duas horas de cirurgia.

HISTÓRIA:

Ben Carson era um menino pobre, negro, criado sem a presença do pai desde os cinco anos, na cidade de Detroit. Por ser míope e pouco disciplinado tirava as piores notas da escola. Sendo constantemente chamado de burro pelos colegas mais aplicados, começou a acreditar mesmo que não tinha inteligência.

Sua mãe não aceitou aquela crença. Afirmou que Ben era inteligente e colocando seu dedo indicador na cabeça do garoto profetizou: Tudo o que você precisa para conquistar no mundo está aqui dentro! Você só precisa enxergar além do que vê!
Sonya Carson, a mãe de Ben, era uma mulher analfabeta. Criava sozinha os dois filhos. Ela crescera em lar adotivo e aos 13 anos casou-se com um homem que a fazia muito feliz. Mas, depois de cinco anos, descobriu algo que lhe trouxe uma tristeza imensa: seu marido sempre tivera uma outra família. E ainda mais ficou horrorizada quando também descobriu que ele era um traficante de drogas. Divorciou. Fugiu com os filhos para a casa da irmã em Boston. Depois da sentença do divórcio, voltou para Detroit. Continuava muito deprimida e com pensamentos suicidas, procurou ajuda no hospital psiquiátrico da cidade. Na conversa com o médico, chorou e disse que era burra, analfabeta, uma faxineira, e que estava muito preocupada com os garotos, pois não queria que eles tivessem o mesmo futuro.

Tendo sido aceita para tratamento, antes de se internar tomou a primeira decisão que veio a ser o ponto de inflexão na vida de seus dois filhos. Dizendo que iria a Boston ver a irmã (mentiu), ela ordenou, antes de se internar, que na sua ausência os dois "moleques" deviam aprender a tabuada inteira.


Ben, ao ouvir esta ordem da mãe, disse que ela era a pior mãe do mundo. Mas, pouco tempo depois, o menino que não acertava uma questão na prova de Matemática estava acertando 24 questões em 25. No dia que isto aconteceu ele chegou em casa muito eufórico, e deparou com sua mãe que estava de volta.


Trabalhando na casa de um professor viúvo, a mãe de Ben ficou impressionada com o tamanho da Biblioteca e perguntou para aquele professor se ele já tinha lido todos aqueles livros. O que ele respondeu: "Quase todos". Voltando para casa, encontrou os filhos desperdiçando tempo precioso de vida assistindo programas idiotas na TV. Então tomou a terceira e mais acertada atitude que levaria aqueles dois garotos a ser homens de destaque na sociedade, ao ordenar que poeriam assistir dois programas de TV por semana. Tendo sido questionada sobre o que iriam fazer com aquele tempo, ela deu uma segunda ordem: eles teriam que ir à Biblioteca da cidade, ler dois livros cada, fazer os resumos e entregá-los para ela.

A leitura fez muito bem a Carson. Ele terminou a 8.ª série com o prêmio do melhor aluno da classe. Mas o fato decisivo que o levou a escolher a medicina foi o sermão do Pastor da sua Igreja que pregou sobre um médico missionário sendo perseguido por bandidos em terra estranha.

Suas notas eram tão boas que foi um dos três alunos que ganharam bolsa de estudos para estudar na Universidade de Yale, cidade de New Haven, Estado de Connecticut. O futuro da Neurocirurgia estava no Hospital Johns Hopkins, em Baltimore, Maryland. Havia somente duas vagas para 130 candidatos à bolsa-residência médica. Na entrevista, ele falou do milagre do cérebro e de Haendel. Ficou com a primeira vaga.

Foi tão bem sucedido na sua residência no Johns Hopkins, que mais tarde veio a ser o chefe da Neurocirurgia Pediátrica daquele Centro Hospitalar. Ali ele chegou ao auge quando operou os gêmeos siameses da Alemanha, tendo sido a primeira operação na história da medicina em que os dois bebês sobreviveram. Para conseguir sucesso em seus grandes desafios ele tinha um grande segredo: Oração!
Ele orou para que Deus contivesse sua raiva, quando esfaqueou um colega de escola. Ele disse que orava quando se encontrou pela primeira vez com o casal de alemães, pais dos gêmeos siameses Binder e ele orou antes de iniciar o processo operatório que durou 22 horas.

A cirurgia dos gêmeos Binder deu certo, porque o Dr. Carson introduziu um procedimento inédito: induzindo o coração dos bebês à hipotermia por uma hora. Com o coração parado, não haveria perda de sangue, o sistema circulatório do cérebro de cada bebê seria reconstruído. O tempo chegou ao fim, o sangue que estava a 20.º foi aquecido, os desfibriladores fizeram aqueles dois coraçõezinhos pegar "no tranco" e, para a glória do Senhor, lá foram os dois para as incubadoras.

Qual dos dois vocês querem ver primeiro?

Foi a pergunta do médico ao casal Binder, que foram e acharam os dois vivíssimos!

Secretário do governo do gabinete de Donald Trump

Liderar a Secretaria de Habitação em Washington e servir como secretário do gabinete de Donald Trump não era exatamente o que Ben Carson imaginava para sua aposentadoria, mas o famoso neurocirurgião pediátrico contou à CBN News que ele estava começando a ver por que Deus o colocou naquela posição improvável.

"Como um neurocirurgião pediátrico, passei muito tempo tentando dar às crianças uma segunda chance - operando por horas e horas, às vezes a noite toda", disse ele.

"Como um neurocirurgião pediátrico, passei muito tempo tentando dar às crianças uma segunda chance - operando por horas e horas, às vezes a noite toda", disse ele.

"Mas depois, ter que enviá-los de volta para um ambiente horrível, com mofo, chumbo e vermes - todo tipo de coisas ruins - foi um sentimento horrível para mim - agora eu tenho uma chance de realmente fazer algo sobre esse ambiente", continuou Ben Carson ao falar sobre a situação preocupante da moradia de muitas daquelas crianças.

Um ano após o trabalho, Carson diz que durante suas leituras bíblicas, Deus tinha revelado por que Ele o colocou lá.

"Há um versículo na Bíblia, Provérbios 29:18, que diz que sem uma visão as pessoas perecem e eu olho em volta e vejo muitas pessoas que simplesmente não estão prosperando", disse o secretário Carson.


Não há o que se desculpar por causa da fé

Um grupo ateu processou a Secretaria de Habitação - dirigida por Carson - para obter informações sobre o estudo bíblico e como Carson exerce sua fé na vida pública.

Carson respondeu nas redes sociais, escrevendo: "É a minha fé que me ajuda a servir ainda melhor a nação".

TV GLOBO 

Sessão da Tarde exibe o filme A História de Ben Carson nesta segunda-feira
Menino pobre de Detroit, desmotivado, que tirava más notas, aos 33 anos se torna diretor do centro de neurologia pediátrica do hospital Johns Hopkins

Mãos Talentosas



Postar um comentário

2 Comentários

  1. Maravilha sem palavras fantástico!Que vida magnifica estou em lagrimas, sua hitoria deveria ter um filme noamir do Sr Deus AMÉM!!Como disse sem palavras é muita sabedoria para mim! Obrigada obrigada por me oferecer : essa vida vencidapelo amor 💘 seja muito feliz quem me presenteou Deus com todos AMÉM!!

    ResponderExcluir
  2. Nunca fiquei tão emocionada! Tenhot 82anos faço 83anos em Setembro,maravilha mesmo estou em lágrimas até agora Deus AMÉM!!

    ResponderExcluir